sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Para Kelps, vingança do governo contra o PMDB prova a forma antiquada de gerir a máquina pública

O deputado estadual Kelps Lima associou hoje o ato de vingança do Governo do Estado praticado contra o PMDB como um atestado da forma antiquada como a máquina pública está sendo gerida no RN.

Na visão do deputado, no momento em que demitiu, de uma só vez, dezenas de funcionários que ocupavam cargos comissionados na Secretaria de Trabalho e Ação Social, o Governo interrompeu a rotina da pasta, dilapidou os projetos e assassinou as relações de prestação de serviço que porventura estivessem funcionando em benefício da população.

“Há muito tempo eu prego que o Governo precisa modernizar sua forma de agir, de tocar a coisa pública, separando o comezinho do jogo partidário, da política arcaica - que não faz mais sentido -, do verdadeiro interesse da população. Mas, o governo não ouve. Essa atitude de esvaziar uma secretaria inteira, num único ato no Diário Oficial, sem se preocupar como vai ficar o serviço que esses funcionários vinham prestando à população, é de uma irresponsabilidade tremenda”, disse Kelps.

Segundo o deputado, para o povo, tanto faz se algum partido vai, ou não, votar no Governo. O que o povo quer, e precisa, é que a máquina funcione. E, na forma que o Governo vem fazendo e fez na Sethas: com a interrupção abrupta de rotina administrativa pela saída maciça dos funcionários, a máquina pública não vai funcionar nunca.

“Por mais competente que seja o secretário que chegar no cargo para substituir o que saiu, ele vai chegar num ambiente onde não há mais uma testemunha sequer dos atos administrativos e da rotina de prestação do serviço que vinha sendo tocada. Quer dizer, vai ter que descobrir, pelo tato, o que estava ocorrendo e começar tudo de novo, numa perda de tempo que certamente fará sofrer a população”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário